Truculência e gastos exagerados


A economia vai de mal a pior e a articulação política quer passar por cima de todos os parâmetros de moralidade pública. 

O cidadão comum gasta, endivida-se e quando pode negocia com seus credores, o atual governo ao contrário, teve gastos exagerados, manipulou índices sociais e econômicos e não quer ser responsabilizado por isto.

E faz proposta indecente : movida pelo fato de que o que deveria ser um superávit virou um déficit de 16 bilhões de reais até setembro — culmina a série de artifícios adotados para camuflar a situação real do caixa do governo. Com abatimentos estimados em 130 bilhões de reais, a conta do ano voltaria criativamente para o azul. Mas com uma sequela grave.

“A mudança de regra significaria que não há mais meta fiscal”, diz Ilan Goldfajn, economista-chefe do banco Itaú. Isso vai fazer falta quando o governo comunicar as metas para 2015 — quem vai acreditar que elas serão para valer? Ou seja, os problemas que geram falta de confiança estão sendo aprofundados. 

Se o projeto mandado ao Congresso for aprovado, o governo evitará o risco de descumprir a lei orçamentária de 2014, o que caracterizaria uma irresponsabilidade fiscal. Mas a entrega de um resultado maquiado não é capaz de alterar a realidade. E a realidade é que as contas públicas estão desajustadas.

E você, cidadão, já fez uma proposta indecente para seus credores?? e como eles reagiram?? aposto que não foi com a truculência que a base aliada do Congresso está tentando enfiar, goela abaixo, de todos nós, que em última instância, pagaremos a conta.

Fonte: Exame

Comentários