domingo, 21 de agosto de 2011

Os danos a marca por quarterização de mão de obra


Americana /SPEm industrias de confecção é comum delegar a terceiros a confecção de modelos de grifes nacionais e internacionais. O caso acontecido a grife Zara, de certa maneira mostra que os custos envolvidos na mão de obra são relevantes para a determinação do preço final do produto.  Já convivi com este mercado (o da moda) e como era responsável pela formação do preço final, tinha na minha mão, os fatores relativos a composição da peça de roupa, acessórios ou complemento do artigo do vestuário.

Como tratava de moda feminina, uma parte era costurada no local e outra parte (a maior) fora da empresa.

A empresa era no sul do Brasil, mas a etiqueta da grife era produzido no Nordeste (nunca investiguei para saber em que condições)

Assim, muitas vezes, a empresa desconhecem os processos produtivos que acontecem fora de suas instalações.

Se a Zara e as outras empresas citadas pelo Ministério Público do Trabalho realmente utilizavam mão de obra análogas a escravidão, é uma noticia a se acompanhar. Nada a isenta da responsabilidade, deverá redobrar seus esforços agora para que sua marca não fique com a nódoa permanente, assim como várias outras que foram flagradas em situações semelhantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar, volte sempre!!!

Autor

Sobre
Adm. de Empresas, Gaúcho, Parlamentarista e defensor do Voto Distrital Puro. , Saiba mais